Tortura – O inicio

Bianca saiu cedo de casa, carregava malas e um coração alegre, estava indo visitar o irmão em Manaus e precisava se apressar para não perder o avião. Ahh, seu tão querido irmão, ela o amava mais que tudo neste mundo, o amava tanto que perdera namorados por sempre falar de seu irmão a eles… Ciúmes; ela sempre estava cercada desse sentimento, ninguém além de seu irmão ficou imune a tal sentimento.
Chegou ao aeroporto de Vitória às 5:30 da manhã, e não conseguia conter sua ansiedade, esta era tão grandiosa que todos à sua volta se contagiaram com tal. Recebe uma ligação.
-Alô?
-Mana, que horas seu avião parte?
-Oi Bruno… Parte às 6. – sua voz indicava sonolência.
-Então você deve chegar aqui pela tarde não é mesmo?
-Acho que sim. Vou perguntar aqui, um momento.
-Certo.
Haviam duas aeromoças conversando sobre o que fazer com o dinheiro que receberam hoje, não sabiam se comprariam jóias, produtos de beleza ou aquela blusinha da moda que custa R$100, 00.
“Corruptível.” – pensou ela ao ver as aeromoças conversando.
-Com licença senhoritas, poderiam me dar uma informação?
Elas olharam a mulher com uma cara de desprezo, afinal ela não estava vestindo roupas de grife nem salto alto, era apenas uma calça jeans e uma camisa comum de banda. Após observarem-na uma delas, a mais alta, respondeu falsamente.
-Claro querida, em que podemos ajudar?
Bianca não queria ser grossa por isso deixou escapar um tom de repreensão e um olhar de altivez.
-Qual o tempo de viajem daqui até Manaus?
As duas se olharam, era claro que não esperavam esta reação, e a mais baixa respondeu temerosamente.
-Cerca de 8 horas.
Bianca olhou profundamente nos olhos de ambas, que desviaram o olhar, agradeceu e virou-se.
-Cerca de 8 horas o tempo de viagem mano, devo chegar aí às duas da tarde.
-Certo, quando chegar me ligue que eu te busco.
-Ah tá!, Acho bom você estar lá quando eu chegar!
-Última chamada para o vôo 3450, partindo de Vitória com destino à Manaus; escalas em Brasília e Rio de Janeiro – o som era familiar.
-Preciso ir Bru.
-Estarei lá. Beijo Bi.
-Certo. Beijo.
Ela corre para o portão de embarque, entrega a passagem e caminha em direção ao avião.
Logo se acomoda em seu lugar na classe econômica e o avião parte.
“6:01, está atrasado.”-pensa Bianca em todo seu perfeccionismo e logo após dorme tranqüilamente.
A viagem fora mais curta do que esperava, às 13h já estava pousando em Manaus.
“Parece que cheguei antes do previsto, vou ligar para…” – seu pensamento foi interrompido por uma palavra que saiu de sua boca enquanto corria em direção ao irmão.
-Bru!!
-Bi!!!
Abraçaram-se fortemente.
-Que saudades irmão!
-Muitas, mana!
Saíram abraçados para buscar as malas e em seguida foram para casa. Conversaram durante horas e Bianca percebeu que seu irmão estava triste.
-O que houve Bru?
-Como assim?
-Você tá meio pra baixo…
-Ah… Tô?
-Não adianta se fazer de desentendido!
-Bah, não é nada não..
-Fala logo!
-É que… Eu… Er…
-Bruno, pare de enrolar!
-Tá bem… É que tem uma garota…
-Outra?
-Não… A mesma…
-O que ela fez desta vez?
O olhar de Bianca fez Bruno gelar e em seguida começou a contar a história. O fato era que ele gostava da mesma garota há anos e durante todo este tempo ela aprontou poucas e boas, ou melhor, muitas e más. Stefani muitas vezes dissera a Bruno que o amava, e no dia seguinte desmentia, alegando interpretação errônea da parte dele ou modo errado de expressar todo o carinho que ela detinha por ele. Ela sempre fazia isso, mas desta vez ela foi longe demais…
-O QUE? ELA TE ABRAÇOU E DISSE QUE TAVA AFIM DE TI E, QUANDO VOCÊ IA FALAR COM ELA, ELA DISSE QUE VOCÊ TAVA SONHANDO? – a ira era clara em sua voz.
-Bi eu… -ele estava temeroso.
-QUEM ESSA GAROTA PENSA QUE É?
-Bianca, chega! É passado. Eu não quero mais saber disso. – a voz dele foi serena e firme.
-Está bem, mas ela me paga, escreve isso. – mais calma, porém ainda fumegante de raiva.
No dia seguinte eles estavam passeando quando repentinamente Stefani aparece correndo em direção a eles de braços abertos.
-Bruninhoooooo! – abraça-o e sussurra: – estava com saudades de ti amor.
Neste momento viu-se todo o ódio de Bianca passar em seus olhos, mas ela se conteve.
-Oi Stefani. Deixa eu te apresentar minha irmã, a Bianca.
-Oiiiiiiii, é um grande prazer te conhecer cunhadinha!
-Ué, você está namorando e não me contou Bru?
-Não, ela gosta de brincar mesmo…
-Brincar nada… Ele não quer assumir nosso relacionamento. – nesse momento ela o beija ternamente, Bruno fica sem reação e Bianca começa a implodir.
-Stefani, vamos, ainda temos que fazer muitas coisas hoje. – veio uma voz do outro lado da rua.
-Até mais amor. Chau cunhadinha. -Ela sai acenando e mandando beijinhos.
Neste momento Bianca começa a tramar.
“Vingança. Ela vai ter o que merece.”
-Bia?. Bia?… BIA?!
-O que?
-Eu te conheço, essa sua cabeça tá tramando…
-Isso não vai ficar assim.
Anúncios

~ por Bu. -L' illusioniste em sábado; 16-fevereiro-2008.

2 Respostas to “Tortura – O inicio”

  1. aew!!! marquequetaacontecendoake?!?!
    ¬¬’
    eu conheço algumas partes dessa historia hsauhasuhuash
    q onda ¬¬’
    to me sentindo estranho por “saber” noq vai dar =P

  2. eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiii
    oniiiiii chaaaan
    q legaaaaall!!!!!
    amei.simples,amei…
    a bianca é tão fria e calculista[é assim q o povo ignorante a chamaria],na verdade não encontro outro adjetivo a não ser maquiavélica.
    tramando uma pra pobre tosca da stefani…ela é idiota e acéfala mas não precisa sofrer tanto.
    enfim,amei (l)
    bj,oniii chan

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: