Voar

Suas asas ainda não haviam crescido, porém ela sabia que um dia isto iria acontecer. Seus pais estavam preocupados, já passara da hora dela criar asas e voar, mas eles sabiam que isso dependia apenas da vontade dela.

Ela conhecia algo novo a cada dia e aprendia cada vez mais, até que conheceu-o, aquela figura enigmática fascinou-a de tal maneira que pouco a pouco suas asas brotaram e cresceram. Se tornara amigos rapidamente e a cada momento que passavam juntos ela se fazia mais feliz, então aconteceu…

Ele segurava sua mão e dizia palavras que jamais ouvira antes e foi assim que ela conheceu o amor. Após o ocorrido os encontros com ele tornaram-se mais freqüentes e suas asas cresciam cada vez mais rápido, não demorou muito para que seus pais percebessem as lindas asas da garota e questionassem como e quando elas começaram a crescer.

Em sua ingenuidade ela contara cada detalhe do que se passou e seus pais quiseram conhecer àquele que fez-a encontrar e desenvolver suas asas. No dia seguinte ela o apresentou a seus pais, afirmando ser ele o detentor de seu amor, sem saber o que aconteceria.

Ao observar a misteriosa figura fora dos padrões, seus pais não entenderam como as asas da filha cresceram para um motivo que na visão deles era mais que fútil, para seus pais ele era um delinqüente. Foi então que e expulsaram-no, ordenando que jamais procurasse sua filha novamente, a seguir disseram a ela que era o melhor a fazer.

Ela se entristeceu. Ficou um tempo naquela teia de ódio durante muito tempo, até que um dia escutou uma discussão vindo da sala -as vozes eram conhecidas-, ela não acreditava no que escutava e resolveu ver com os própios olhos a cena.

Ao descer as escadas lentamente ela percebia pouco a pouco que realmente ouvira certo, ele voltara para devolver suas asas cortadas dizendo que ninguém tinha o direito de arrancá-las. A mãe dela estava paralisada agora, ela não conseguia ver o por que e então apressou seus passos, ao chegar no fim da escadaria ela o viu parado, olhando fixamente para sua mãe, mas havia algo diferete, algo que ela não conhecia e fora exposto de forma imponente naquela ocasião: suas asas.

As palavras dele traduziam toda a beleza de suas asas, ele voava independentemente do que os outros diziam e desta vez ele o fez com ela, de modo que nada o faria desistir de devolvê-la suas asas. A mãe tentava argumentar, mas as palavras e a imponencia dele fazia até mesmo o pai tremer, as palavras dele eram incontestáveis. Mas apesar de tudo ninguém perguntou-a o que ela queria, e neste momento ela correu em direção ao rapaz e abraçou-o.

Agradeceu-o por tudo, virou-se para seus pais e disse que os amava, mas passara da hora deles a deixarem voar. A garota, agora mulher, abriu suas asas recuperadas, estas eram ainda mais belas que a do rapaz, e vôou…

“Comentário rápido: Tem mais ou menos 1 mês que escrvi esse texto… ao digitar modifiquei algumas coisas de modo que ele ficou bem mais redundante que o original. Foi proposital, a redundância e tudo mais que encontrarem de errado no texto(exceto erros de português), essa era a intenção. Não adianta tentar descobrir qual era o meu pensamento ao escrever o texto, ele foi feito para que cada um entendesse de uma forma diferente, e assim o é.

Aqui ficam os abraços desta escritora alada.”

Anúncios

~ por Bu. -L' illusioniste em quinta-feira; 2-outubro-2008.

3 Respostas to “Voar”

  1. Texto interessante ^^ leva o leitor ao complexo total existem inúmeras formas de compreensão{!!}
    sobrinhaa caprichou no texto, continue assim{!!}

    beijos o/ =*

  2. ” Não adianta tentar descobrir qual era o meu pensamento ao escrever o texto, ele foi feito para que cada um entendesse de uma forma diferente, e assim o é.”

    E assim foi e será…

    Meus olhos brilham de orgulho a cada novo dia. Orgulho de Você!

    Aqui fica a dica de um velho animal: Você conquistou seu destino, não se desvie ;).

    Abraços…

  3. Nem consigo comentar decentemente, mas ainda sem conseguir deixar em branco. Amei, me fez querer olhar as minhas reconditas asas…
    Onde estariam elas? não sei irmã, mas preciso enfrentar a tempestade, ainda que não consiga voar e caia, e que minhas asas não venham para me ajudar, Preciso Enfrentar.
    Cada gota: de chuva, de suor… É me necessária. E você minha gota de amizade, é uma das mais preciosas dentre as outras, por isso, sei que estás comigo…

    Amo-te

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: